Cantina da Laura


Anteriores
20/03/2005 a 26/03/2005

27/02/2005 a 05/03/2005

20/02/2005 a 26/02/2005

13/02/2005 a 19/02/2005

06/02/2005 a 12/02/2005

30/01/2005 a 05/02/2005

23/01/2005 a 29/01/2005



Outros sites
 The Red Kitchen
 I was just really very hungry
 meu blog pessoal
 Comer, beber, viver
 viajante do brasil


Indique a Cantina!



(O que é isto?)

 

Raspas e restos me interessam sim

Comida de ontem é uma das melhores coisas do mundo, mas como comer a mesma coisa todo dia enjoa, melhor pegar os restos e variar. Adoro inventar coisa nova com as coisas velhas. Acho que a vida ganha outro sentido. Que mágico!
Eu sei que estou devendo a receita de arroz e que, sem saber fazer arroz, não dá pra sobrar. Mas vamos supor que sua mãe passou na sua casa essa semana e insistiu em fazer uma comidinha pra você.


Arroz extreme

Pra quem curte doce com salgado essa receita é uma delícia:

1 xícara de arroz pronto
100 gramas de carne moída pronta
2 bananas nanicas picadinhas
1 mão cheia de castanha de caju picada (isso vende pronto, não precisar se dar ao trabalho de picar)
1 colher de sopa de azeite
1 pitada de sal

Coloque primeiro o azeite, o sal, a carne e o arroz na panela, refogue o arroz e a carne. Jogue a castanha de caju e misture. Daí deixe ficar bem quente. Só aí é que entram as bananas. Se você colocar antes, elas amolecem demais e ficam destruídas. Misture devagar pra elas não desmancharem e desligue quando a banana estiver morna.


Comportado

Para quem não é muito aventureiro:

1 xícara de arroz pronto
100 gramas de carne moída pronta
100 gramas de mussarela (melhor se for picado, mas serve de qualquer jeito)
5 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
1 tomate bem maduro (bem vermelho) picadinho, sem as sementes

Pegue uma tigela de vidro, ou de teflon, ou de alumínio, uma que possa ir no forno e não seja muito grande, porque a receita é pra solteiros. Jogue o arroz, a carne e o tomate picado na tigela e misture com uma colher.

Versão1: Se você for usar mussarela picada, jogue também a mussarela na mistura. Cubra com queijo parmesão e bote no forno quente mais quente possível. Deixe por 15 minutos.

Versão 2: Se for mussarela em fatias, jogue o queijo parmesão e misture. Cubra a mistura com a mussarela. Repita o esquema do forno acima.

Também dá pra fazer essa no microondas, mas os tempos de preparo são desconhecidos. Assim que eu testar, eu aviso.



Escrito por Laura Prado às 14h15
[] [mande para alguém]


Pizza no almoço?

Semana passada estava conversando no ICQ com um amigo meu que mora nos EUA, por volta da hora do almoço. De repente ele vira e diz: "Opa, vou comer, finalmente chegou a pizza!". Pizza? Respondi assustada até: "você come pizza no almoço?" e ele "claro, o que mais eu vou comer quando não posso sair do escritório?"

Aí eu comecei a pensar... ok, pizza é uma comida tão comida quanto sanduíche, McDonald's ou qualquer outra coisa que entrega no escritório/casa, então por que eu estou achando estranho? A diferença é: em São Paulo não se come pizza no almoço.

Claro que existem exceções, mas como regra geral, pizzarias delivery não abrem antes das 18h e ninguém pede pizza no escritório ou em casa para o almoço. Isso é tão alien que uma das raras pizzarias que eu descobri que entrega na hora do almoço aqui em São Paulo é a Domino's, que é americana.

De resto, a gente pede sanduíches, esfiha, pede pratos com arroz, fritas e filé de frango, e volta e meia come Pizza Hut, que não poderia estar mais longe do conceito de pizza que eu conheço. É tão diferente do conceito paulistano de pizza que vem com uma salada.

Eu lembro de, volta e meia, quando trabalhava ali na região do Jardins, almoçar com o povo do trabalho no Pedaço da Pizza. Mas aquilo era tão estranho pra gente que era como se a gente resolvesse almoçar sorvete, sabe? Era um presentinho de nós para nós mesmos na sexta-feira. Tipo criança que resolve comer uma lata de leite condensado assistindo TV. Não combinava com nosso dia-a-dia. Aliás, a pizza de chocolate com banana de lá vale a pena.

E isso tudo me fez lembrar da fantástica pizza de strogonoff que eu comi em Gramado, há uns cinco ou seis anos. Ai, que fome... não sei por que fico falando dessas coisas na hora do almoço.

Escrito por Laura Prado às 12h43
[] [mande para alguém]


Porcaria, porcaria

Eu tinha um blog, há uns milênios, onde eu experimentava lançamentos do mundo da culinária para leigos e dava minha opinião sobre o produto. Como ontem tive o desprazer de experimentar uma nova marca, vou aproveitar pra alertar os desavisados.

Lasanha quatro queijos "Feito em Minas"

Primeiro: a cara da comida não é nem um pouco convidativa. A comida é congelada e veio completamnete desconjuntada, massa caindo para um lado, molho branco para o outro. Dava a impressão de que ficou descongelada durante o transporte.

A embalagem não é feita para microondas (eu estou doida pelo meu microondas!), então você precisa passar a lasanha para outro contâiner. Isso foi frustrante logo de cara, porque como eu sou nova no assunto microondas, não tenho muitas tigelas que sirvam pra ele e caibam uma lasanha. Mas arranjei uma, apesar de tudo.

As instruções: não funcionam. Existem, claro, diferenças entre potências de fornos de microondas, mas geralmente as instruções são mais ou menos corretas e com um pouco mais, pouco menos, a comida fica pronta. Lá dizia para descongelar por cinco minutos e depois cozinhar na potência máxima por outros três. Feito isso, a lasanha continuava congelada.
Coloquei mais cinco minutos de potência máxima. Agora ela estava descongelada, mas completamente fria.
Mais cinco minutos. Fria por dentro.
Mais três minutos. Morna por dentro, queijo frito nas bordas.

Desisti do microondas, botei no forno com temperatura média, pra não torrar as bordas, que já estavam tostando. Levou mais 15 minutos para ficar realmente quente.

E, não bastasse essa epopéia, a lasanha é ruim. O molho branco é daquele tipo meio gelatinoso e o queijo praticamente não existe. Vários pedaços eram só massa e molho branco. Demos algumas mordidas e jogamos fora, infelizmente.

Espero que alguém da Feito em Minas chegue a ler isso e decida melhorar o produto. É bom encontrar marcas novas na geladeira, principalmente quando custam metade do preço de Sadia e Perdigão, mas não adianta nada se não tem qualidade, certo?

Eu geralmente faço piada, mas hoje estou da pá virada com essa história. Era pra ser a estréia de gala do microondas! Acabamos estourando pipoca (Yoki, light, no problems here).

Escrito por Laura Prado às 14h35
[] [mande para alguém]


Microondas

Maravilhoso, incrível, inacreditável!

Foi meu aniversário semana passada e eu ganhei um microondas dos meus queridos irmãos e pais. Morando sozinha há quatro anos eu até me viro perfeitamente bem sem o microondas, mas o aumento na carga de trabalho e outros afazeres estava me deixando à mercê de comer a comida fria mesmo (preguiça de lavar panela...).

Prefiro a comida feita na hora, mas o microondas quebra um galhão sem igual. O melhor de tudo mesmo é não ter que deixar carnes descongelando um dia inteiro. Meu microondas é mais inteligente do que eu, porque ele sabe me dizer quanto tempo tenho que deixar um pacote de carne moída. Adorei ele.

Com a chegada do microondas eu queria ensinar um pratinho rápido e me ocorreu o seguinte:

Sanduíche de pizza

2 massas de pizza tamanho brotinho, daquelas que vem semi-prontas
1 colher de molho de tomate
2 fatias de queijo prato (ou mussarela)
1 rodela de tomate
Orégano à vontade
Um pouquinho de sal
Duas azeitonas picadas

Passe o molho de tomate nas duas pizzinhas, coloque o queijo, as azeitonas e o tomate em cima e tempere com o orégano e o sal. Feche como um sanduíche e coloque no microondas na potência 2 (ou qualquer coisa bem baixa) por 1 minuto. Não fica crocante, claro, mas é uma delícia. E, como sempre, você pode colocar o recheio que quiser. Gorgonzola fica muito bom. Funciona muito bem na sanduicheira, também.

Aliás, se você for usar na sanduicheira, passe um pouco de manteiga do lado de fora do sanduíche pra ele ficar douradinho.

Escrito por Laura Prado às 13h35
[] [mande para alguém]


Voltando às balas

Já que bala é um assunto que deixa as pessoas tão nervosas e iradas, vamos falar disso de novo!

Hoje, no quilo (sempre o quilo!) eu peguei uma bala mais do que estranha: manga com recheio de chocolate.

Não sou fã de chocolate, mas acho que ele combina muito bem com algumas frutas: banana, uva verde, maçã, melão, entre outras. Mas manga nunca me passou pela cabeça. Aliás, bala de chocolate é algo que nunca me passou pela cabeça. Mas como eu sei que alguém provavelmente vai dizer que já viu isso antes, que é a coisa mais velha do mundo e que eu que sou tapada, já aviso de antemão: problemas de vocês.

O lado bom: a mesma fábrica que faz essa bala de manga com chocolate teve a excelente idéia de uma bala de melão com cristais de menta. Cristais de menta? Tipo assim... umas bolinhas verde-escuras de bala verdinha ardida. No fim é bem gostoso. Eu prevejo que o próximo modismo natureba do verão será o suco de melão com menta, após o declínio do império do abacaxi.
O importante é que, no fim, é uma bala de melão. E melhor ainda: é uma bala de melão grátis.

Procure pelas balas Tropicale no quilo/loja de doces mais próximo! Em vários deliciosos e hilários sabores tropicais!

Escrito por Laura Prado às 14h40
[] [mande para alguém]


Ai, os bons tempos...

Alguém lembra de mupy? Quando eu era criança isso era mania total e irrestrita, tomávamos Mupy quase todo dia na hora do recreio (que, como pude presenciar outro dia, a maioria das crianças agora passa tomando Diet Coke e falando no celular).

No saquinho vem uma mistura de leite de soja com suquinho de fruta: maçã, pêssego, maracujá, limão, abacaxi e morango. Acho maçã um sabor imbatível.

O melhor é que voltaram a vender essa delícia nos supermercados em geral. Pêssego tem embalagem nova, mas o conteúdo ainda é o mesmo: 200ml de saudável suquinho de soja. Pode ser igualzinho Tonyu e afins, mas não tem sabor de infância.

E viva a Agronippo que ainda produz com a mesma embalagem da infância essa delícia de soja.

Agora, só pra não dizer que não dei receita, aqui vai uma vitamina de soja deliciosa. Um clássico reinventado!:

Vitamupy

1 saquinho de mupy (de preferência limão, porque combina melhor com outros sabores)
5 ou 6 morangos de verdade (ou você pode trocar por uma banana, 1/2 mamão ou, a bem da verdade, qualquer fruta que você gostar)
1 colher de sobremesa de açúcar (não muito cheia, porque o mupy já é bem doce)
2 colheres de aveia ou müsli (para dar a sustância :)

Bata tudo no liquidificador. Lembre-se de tirar o mupy do saquinho e de cortar as frutas em pedaços médios, senão algo vai dar errado. Funciona melhor com o mupy bem gelado. E também é algo maravilhoso pra se servir pras visitas. Tenho alguns amigos que não podem com lactose, eles adoram.

Versão 2: como opção, você pode tirar a aveia e colocar uma bola de sorvete (de preferência sorvete de Ades que também é de soja). Fica boooooooooooooooom!


Escrito por Laura Prado às 12h40
[] [mande para alguém]


Abacate que te quero verde

Mas verde-escuro, porque é melhor. O abacate é uma fruta estranha. Tem gente que coloca em salada ou faz molho com ele, tem gente que põe açúcar. Eu gosto de ambos. Principalmente do sorvete de abacate de uma sorveteria em Ubatuba que eu não sei o nome. Por mim, usava abacate em qualquer coisa. Outro dia fiz um "risoto" com abacate, brócolis e couve-flor. E fica ótimo.

Mas como fazer arroz é uma arte que eu ainda não estou com paciência de ensinar, fica aqui a receita básica da mamãe para creme de abacate (que na minha época era danone de abacate, apesar dos problemas de copyright).

1 abacate (grande, pequeno, você sabe da sua fome)
2 colheres de sopa de açúcar (2 para cada abacate grande, o que equivale a uns 400 gramas de abacate sem caroço)
1/2 copo de leite gelado (gelado é muito melhor)
Gotas de 1/2 limão (para dar aquele gosto azedinho-doce e também para não ficar preto se você guardar para mais tarde)

Jogue tudo no liquidificador e bata até virar um creme cremoso. É fácil de perceber: você não vai ver nenhum pedacinho de fruta ou grão de açúcar, só uma massa flutuante de verde cremoso e lindo.

E aí, bom, coma tudo. Antes que seu irmão apareça.

E se você estiver num pique natureba, você sempre pode plantar a semente e esperar ter seu próprio abacateiro em casa. Lembre-se de ter espaço. :)

Escrito por Laura Prado às 23h27
[] [mande para alguém]


Bala de graviola, a última moda em SP

Vocês já viram isso?



Ganhei no quilo onde almoço de vez em quando. Agora, aqui em São Paulo já tivemos a moda dos sucos de frutas nordestinas (graviola, cupuaçu, umbu, etc.), a moda dos sorvetes de frutas nordestinas e agora, parece, estamos no momento da moda das balas de frutas nordestinas.

Só abri a bala pra propósitos informativos, ainda não tive coragem de comer porque nem sei o gosto de uma graviola. E olhem só, a bala é fabricada pela Dimbinho, concorrente direta das balas Juquinha!

Bom, dos males o menor: pelo menos é uma bala feita de algo que tem sabor doce. Ano passado a moda eram balas de erva-cidreira, boldo, violeta...

Update: Eu comi a bala, e ela é boa demais. Realmente é agridoce, como alguém disse, nos comentários. Agora vou comprar uma graviola de verdade que deve ser melhor que bala fake. E pra quem acha que cozinha tem que ser tratada sem preconceito, sinto muito. Todo mundo tem gostos e todo mundo tem traumas de infância relacionados com comida. Cozinha é uma coisa muito pé no chão pra mim, eu gosto de falar das coisas como falaria com um amigo. Meu relacionamento com a comida é assim. Se eu nunca vi uma graviola (ou xuxu, ou banana, ou fruta-pão), vou ficar receosa sim. Tenho uma amiga que não chega perto de cebola. Frescura sim, mas cada um tem a sua. Eu tenho as minhas, você tem as suas.

Escrito por Laura Prado às 16h07
[] [mande para alguém]


Fome bate a qualquer hora

O que você faz quando bate uma fome séria às 3h? Às vezes você está voltando da balada e não comeu nada desde as 22h, ou então você está em casa na Internet e só percebeu de madrugada que não jantou, ou pior ainda, você está estudando e não teve tempo de levantar da cadeira. E como as aulas voltam segunda-feira, nada mais apropriado. Eu tento ter sempre em casa um pote de requeijão, um pacote de pão (forma ou padaria) e algum frio. Mas se não tem, a gente improvisa:

Se só tem requeijão e não tem pão: já experimentou requeijão puro? Não vale essas porcarias de especialidades lácteas, tem que ser requeijão sério. Eu ando comprando sempre o Argenzio, que é o dobro do tamanho e o mesmo preço dos outros. Pegue uma colher grande e coma com gosto. É possível que o pote acabe em 5 minutos.

Se só tiver pão e não tiver requeijão: Passe manteiga no pão (sempre tem manteiga em casa. É quase mágico). Bata um ovo numa tigela pra virar omelete (é assim que as omeletes nascem!). Coloque o pão na frigideira. Deixe fritar um pouquinho, pra dourar. Retire mas não desligue o fogo. Ponha o ovo na frigideira até a parte de baixo ficar sólida. Daí você joga o pão em cima e vira tudo com uma espátula. Espátula é aquele utensílio de cozinha que parece uma colher quadrada e com furos. Depois que o ovo fritar completamente, coloque sal e coma.

Agora me deu uma fome...

Escrito por Laura Prado às 13h30
[] [mande para alguém]


Até os fungos pegam fungos

Eu tenho certeza que colocaram um vudu na minha geladeira. Tudo que entra lá sai estragado, com fungos ou azul.

Hoje minha surpresa foi maior ainda por descobrir que um fungo pegou fungo na minha geladeira. Eu comprei shimeji, que é um cogumelo metido a besta, na terça-feira. Na embalagem dizia que ele era válido por 1 semana, dentro da geladeira. Resolvi que ia guardar pro jantar de domingo que é quando eu e o marido estamos ambos em casa, de bobeira.

Mas a coisa deve estar realmente pesada lá. Quando olhei hoje, o cogumelo estava azul e tinha fungos crescendo nele. Nem vou falar da metalinguagem da coisa toda. Fungos crescendo em fungos, nunca imaginei que fosse possível.

O jantar miou e pra compensar, pedimos pizza. Acho que vou ter que chamar uma mãe de santo pra acabar com o vudu. Ou o Pica-pau.

Escrito por Laura Prado às 21h27
[] [mande para alguém]


A verdadeira salada grega

Estou empolgada com os preparativos para minha festa grega de aniversário e então queria compartilhar com vocês como se faz salada grega, a verdadeira e única. Eu sei que estou sofisticando as receitas fazendo isso, mas é que é tão fácil, mas tão fácil, que não posso evitar. Eu sei que é saudável, mas eu repito: é fácil. E rápido. Então deixa de frescura e come o verdinho que é muito gostoso.

3 tomates (procure um tipo de tomate chamado Debora; eles não precisam estar completamente vermelhos)
1 cebola grande roxa (é melhor, mas se só tiver a de sempre, vale)
1 pepino grande (não me entenda mal)
Um monte de azeitonas pretas grandes e gordas (se tiver saco/grana compre em empórios, a granel, porque aí você acha azeitona realmente importada da Grécia)
Queijo feta duro (já vi um tipo meio cream cheese. Não é a mesma coisa)
Azeite de oliva de verdade, nada desses Olívia/mistureba de azeite com óleo
Uma pitada de orégano
Sal à vontade
Um pedaço de pão

Lave tudo antes de usar. E de preferência deixe os vegetais de molho em uma tigela com água e umas gotas de limão, pra tirar agrotóxicos e afins.

Corte o tomate em 4 partes, depois corte cada parte na metade. Tire a casca da cebola e corte ela em rodelas (vai ter que chorar um pouquinho!).

Ok, acabei de perceber que tem uma coisa difícil nessa receita. Mas é sempre bom aprender, não? O pepino, se você não usar um fantástico truque, tem um gosto extremamente amargo. Então, o truque é o seguinte:

- Antes de descascar, corte fora a ponta do pepino
- Pegue a ponta e esfregue no pepino, na parte exposta
- Vai sair uma espuma esverdeada. Esfregue bastante, por uns 30, 40 segundos
- Lave o pepino e aí descasque e corte em rodelas grossas

Quando escritas as instruções soam muito eróticas.

Voltando à receita, agora você coloca todos os ingredientes numa grande tigela, joga azeite, as azeitonas, o orégano, o sal e dá uma misturada. O queijo feta você coloca num prato ao lado e vai pegando pedaços enquanto come. O pedaço de pão fica do outro lado do seu prato e você vai tirando nacos e comendo tudo junto, aos poucos. Ai, que saudades da Grécia...

Escrito por Laura Prado às 21h23
[] [mande para alguém]


Dia de impressionar a sogra

Hoje vou ensinar uma receita séria. Nada complicado, não há o que temer. A parte mais difícil é bater ovos numa tigela. Porque tem horas em que você quer impressionar uma pessoa a sogra, ou quer mostrar pros seus pais que você não vive de miojo e salsicha (eles sabem que você vive disso, mas estão dispostos a fingir que não). E o melhor é que ainda vão achar que você é uma pessoa saudável, já que essa receita é assada e não frita.

Na verdade, isso aqui não passa de uma omelete com brócolis e queijo. E não faça cara feia pro brócolis. Ele é seu amigo! Um dos poucos vegetais que, mesmo cozidos, ainda têm gosto. A diferença da omelete básica pra essa cascateira aqui é que a nossa vai creme de leite. Deixa mais encorpadinha e dá um gostinho diferente. Se você é realmente um inepto culinário, você pode parar de ler os ingredientes no Creme de Leite. Se você quiser arriscar, continue e você não vai se arrepender.

Equipamentos diferentes: Você vai precisar de uma tigela baixa de vidro média (mães chamam isso de refratário). O refratário redondo médio é um pouco maior que uma pizza brotinho. Essa receita supõe que você quer impressionar alguém, então ela é para mais de uma pessoa. Se for só pra vc, corta os ingredientes pela metade, mas pode usar a mesma tigela, só vai ficar mais baixinha.

4 ovos grandes
1/4 de um brócolis japonês picado, mas não muito picado (brócolis japonês é o miudinho, o outro não fica tão bom nessa receita)
8 fatias de queijo (prato ou mussarela)
Três pitadas de sal (uma pitada é o que você consegue pegar entre seu polegar e indicador)
1/2 lata de creme de leite (dá uns 150ml)
1 colher de alho picado (compre já picado no mercado, tem fresquinho e vc nem se suja)
Azeite à vontade
Um pouco de queijo parmesão ralado (de preferência ralado de verdade e não em pó, como aqueles Teixeira ou Castelo Branco)

Antes de começar tudo coloque uma panelinha no fogo com água. Quando ferver, jogue os brócolis dentro e conte 8 minutos. Pode ser um pouco mais, um pouco menos, mas se você largar lá por 20 minutos, vai ter pasta de brócolis. Escorra os brócolis e coloque numa tigelinha pra esfriar. Jogue o alho picado e mexa pra misturar. Isso pode destruir um pouco o brócolis, não fique triste.

Numa outra tigelinha de plástico você bate os quatro ovos e o creme de leite, usando um garfo. Jogue o sal na tigela enquanto isso (e o parmesão, se você decidiu usar). Quando não houver nem sombra de clara você sabe que está pronto. Agora deixe ali na pia.

Ligue o forno agora. Deixe no máximo.

Pegue o tal refratário e coloque as fatias de queijo no fundo, cobrindo tudo bem direitinho. Depois coloque o brócolis na tigela, sobre o queijo. Jogue o azeite por cima do brócolis (se for usar). Jogue os ovos batidos em cima disso tudo.

Agora você pode colocar a sua "omelete" no forno e esperar uns 25/30 minutos. Isso na verdade depende do forno. Quanto mais violenta a chama do gás, mais rápido vai. Pra ter certeza que está bom, tire do forno quando tiver passado uns 20 minutos e veja se o queijo já está tostadinho, no fundo. Se estiver, pode mandar ver. Fica ótimo com miojo puro ou com arroz (essa vai ser uma lição à parte, porque arroz não parece, mas é fácil demais).

Viu como é fácil impressionar as pessoas? E olha que você nem precisou entrar em termos como "al dente", "balsâmico" e "carne silvestre" para isso.

Escrito por Laura Prado às 20h41
[] [mande para alguém]


Sorvetinho caseiro

Essa receitinha aí abaixo é baba do quiabo. Até hoje eu não comi um sorvete tão gostoso e tão fácil. Pode falar o que quiser de gelaterias Parmalat e sorvete italiano etc e tals, sorvete de forminha de gelo é o que há.

Isso me fez lembrar que outro dia estava assistindo Discovery Channel e um cara estava explicando os porquês do sorvete ficar com cristais de gelo, ou ficar pastoso, ou ficar de qualquer jeito que não seja sorvete-italiano-cremoso. A melhor parte ficou por conta do final, quando um físico maluco ia tentar bater o próprio recorde de fazer o sorvete mais rápido do mundo.

O cara chegou com um galão de nitrogênio líquido e, quando a mocinha do Guinness começou a cronometrar o tempo, ele jogou numa tigela o ovo, o pistache, o leite, açúcar e sei lá mais o quê. Misturou 2 segundos e derramou milhares de litros de nitrogênio liquido na tigela. Foi fumaça para todo lado, uma loucura, parecia que o mundo ia mesmo acabar. Daí ele voltou a bater a mistura.

Quando a fumaça começou a sumir, acreditem ou não, realmente tinha sorvete na tigela. Não tinha nenhuma das qualidades que o cozinheiro havia ensinado minutos antes, mas era sorvete. E era bem parecido em consistência com esse que você vai fazer na sua cozinha. Só não é tão rápido.

2 latas de creme de leite (são 600 e poucos ml, se for caixinha você provavelmente vai precisar de 3)
1 lata de leite condensado (300 e poucos ml, veja o item "caixinhas" acima)
1 ovo (faz favor de comprar ovo novo. Todo mundo sabe que esse ovo aí na sua geladeira está aí há dois meses)
8 gotas de essência de baunilha (É aquela da garrafinha pequena com líquido preto e rótulo amarelo)

Ponha tudo no liquidificador e bata bem. Depois, jogue em forminhas de gelo e deixe no congelador por umas 3 ou 4 horas.

Versão II

Se você não gosta de baunilha, não tem erro. Troque a essência por 2 colheres de nescau ou por essência de outra coisa qualquer que você goste. Existe de banana, ameixa, panetone, girassol, batata-doce. Como dizem por aí, cada um cada um.


Escrito por Laura Prado às 19h23
[] [mande para alguém]


Um pimentãozinho...

O pimentão é cortesia da Dida, que é ótima pra achar as imagens mais legais!

Escrito por Laura Prado às 16h31
[] [mande para alguém]


Subtítulo

Eu devia botar em algum lugar um subtítulo: Cozinha para leigos

Ou algo assim.

Escrito por Laura Prado às 18h45
[] [mande para alguém]


[ver mensagens anteriores]